Sinopse

O MUNDO PRECISA DE CADA UM DE NÓS


Nasce com a pandemia a necessidade de analisar e repensar a vida ao longo dos anos, fazendo assim uma viagem até os dias de hoje.
A partir de um determinando ponto da história do mundo começamos a fazer uma autoanálise. Com isso, a Unidos
da Vila Maria traz consigo uma das cores do seu pavilhão retratada por nossas baianas,
vestidas de branco e ouro com sua representatividade acolhedora e agregadora,
lavando o nosso palco maior do samba e fazendo ecoar o clamor pelo mundo,
carregando em suas fantasias sua cadência de sambista e em seu canto dá início a uma
viagem através dos tempos.

Exploraremos a visão do carnavalesco em uma viagem pelas civilizações na
carruagem do delírio, levado aos primórdios tempos, uma era sombria onde o Império
Romano, imerso em trevas, lutando pelo poder absoluto promove guerras e disputas,
submetendo o povo a todo tipo de algruras. A partir da queda do Império Romano surge
a necessidade de procurar por novos rumos, novos prumos, a luz é o milagre de um
novo caminho que leva até as almas, mentes e corações um despertar de novos
sentimentos, que acalenta a todos após um período de tanta dor.

Por meio da fé peço axé, amém, agô, shalom, salve rainha e que a mão de Deus
possa nos abençoar e obaluae, meu velho atoto peço clemência para que venha nos
salvar. O carnavalesco retoma o percurso do homem que habitava em nossas terras, e
vê novamente o caos assolando-os, pois, a ganância volta a residir em seus âmagos, o
mundo se encontra em questionamento sem saber qual caminho seguir. Com o desgoverno dos poderosos que mais uma vez revivia
uma fraqueza trazendo com ela um mundo doente e descrente, fazendo com que a quimera,
o monstro da ganância cresça absurdamente engolindo as crianças, os negros, brancos, patrões, pobres e desempregados.
Suplicando a nossa mãe gentil, que seja a nossa consciência para finalmente
nos trazer e nos fazer encontrar o mais puro e verdadeiro sentimento, o amor,
sentimento esse que libertará nossos corações de toda essa angústia e que possa
assim levar todos os males para longe da humanidade, purificando todos aqueles que
têm fé.

O amor em suas várias formas de amar (o Amor de pai e mãe, Amor mútuo entre os
seres e o Amor cibernético dos tempos modernos) assim as faces do amor nos levará ao caminho da salvação,
a certeza do clarear de um novo dia. Nasce das mãos do
criador o Brasil, o celeiro do mundo, e mostra que podemos ser o exemplo como uma
legião de boa vontade, o sambista exprime com sua voz que todos somos irmãos e é
hora de darmos as mãos, juntos com toda a nação, lavando a nossa alma, mente e
coração. Dizendo: Se o mundo precisa de cada um de nós a Vila é porta voz.

Cristiano Bara
Carnavalesco